Sala M. Félix Ribeiro | Seg. [14] 20:00 [atenção ao horário]

O QUE QUERO VER

SHOES

de Lois Weber
com Mary MacLaren, Harry Griffith, Mattie Witting, Jessie Arnold
Estados Unidos, 1916 – 60 min / legendado eletronicamente em português | M/12

Com acompanhamento musical ao piano por Daniel Schevtz

Uma mulher num métier dominado por homens, Lois Weber era sinónimo de trabalho e dedicação à arte, de tal modo que o fundador da Universal Carl Laemmle terá dito sobre Weber que lhe confiaria qualquer quantia de dinheiro que esta quisesse para realizar um filme. Foi na crista da onda que Weber realizou SHOES, obra de travo realista sobre Eva, uma jovem trabalhadora que, auferindo apenas míseros dólares por semana, enfrenta grandes dificuldades para garantir o seu sustento e o da sua família. Acresce que o único par de sapatos que possui pede para ser substituído. Sem dinheiro, Eva sente-se tentada pela proposta formulada por um indivíduo suspeito chamado Charlie. História particularmente sensível à condição das mulheres no mercado de trabalho e que foi enformada pela experiência da própria Lois Weber, na qualidade de voluntária em “missões” que prestavam assistência aos mais pobres na cidade de Nova Iorque. A exibir em cópia digital. Primeira apresentação na Cinemateca.


Sala M. Félix Ribeiro | Ter. [15] 20:00 [atenção ao horário]

BERNARDO SANTARENO E O CINEMA – em colaboração com as Comemorações Nacionais do Centenário de Bernardo Santareno

VIDA BREVE EM TRÊS FOTOGRAFIAS

de Fátima Ribeiro
com Marco de Almeida, Bruno Santos, Carla Chambel, Fernando Heitor, Isabel de Castro
Portugal, 1998 – 36 min

A PROMESSA

de António de Macedo
com Guida Maria, Sinde Filipe, João Mota, Luís Santos
Portugal, 1972 – 94 min

duração total da projeção: 130 min | M/12

Sessão com apresentação
A PROMESSA

A partir da obra teatral homónima de Bernardo Santareno e assentando num trabalho de investigação sociológica levado a cabo nas aldeias piscatórias em que decorre a ação, A PROMESSA é a história de um jovem casal de uma aldeia de pescadores profundamente religiosos que não consuma a sua união em cumprimento de um voto de castidade. Alvo de grande polémica na receção em Portugal, (foi a primeira obra portuguesa a mostrar dois corpos nus), A PROMESSA teve uma boa carreira e foi o primeiro filme português oficialmente selecionado para o Festival de Cannes. Episódio de uma série de televisão produzida pela David & Golias para a RTP, VIDA BREVE EM TRÊS FOTOGRAFIAS adapta um texto teatral do ciclo Os Marginais e a Revolução, de Bernardo Santareno.


Sala M. Félix Ribeiro | Qua. [16] 20:00 [atenção ao horário]

ANTE-ESTREIAS: FILMES DE ESCOLA DO AR.CO

QUARENTENA

de Marcus Silva, Mariana Meneses, Nastasja Tuszynska
com Marcus Silva, Nastasja Tuszynska
Portugal, Alemanha, 2020 – 5 min

NOCTUR

de Ana Vala
com Ana Vala, Carina Macedo, Laura Garcia, Margarida Albino, Marcus Silva, Stephanie Kyek
Portugal, 2020 – 11 min

A PLACE THAT DOESN’T EXIST

de Felipe Andrat
com Caviar Hao Jiang, Vítor Coelho
Portugal, 2020 – 5 min

OS PÁSSAROS VOAM À NOITE?

de Ana Almeida
com Filipa Almeida, José Parreira, José Ruas, Joana Cunha Ferreira, Diogo Cunha Dias, Miguel Tavares
Portugal, 2020 – 18 min

MARIA – A HISTORICAL ANALYSIS OF SAMBIZANGA, 1972

de Stephanie Kyek
Portugal, 2020 – 10 min

CASSOULET

de Gaiato
com Sara Fraga, Sérgio Sousa
Portugal, 2020 – 9 min

DEPTH WISH

de Margarida Albino
com Camilla Flora Prey
Portugal, 2020 – 12 min

ANNA BÊ

de Julia Nogueira
com Anna Bárbara Souza
Portugal, 2020 –24 min

duração total da projeção: 95 min | M/14

com a presença das equipas e atores

Em QUARENTENA, quase confinados a um espaço interior, deparamo-nos com a repetição das nossas rotinas. Uma estranha atmosfera circunda Lisboa, Peniche e Berlim. NOCTUR é um filme e é um jogo. Acede-se a este lugar simulado através de um avatar da realizadora – An. Do início ao fim de NOCTUR, An vai sendo manipulada para executar um conjunto de missões que culminam numa luta entre três seres idênticos a si. Em A PLACE THAT DOESN’T EXIST, será que os andróides sonham com carneiros elétricos? Três amigos andam por Lisboa à noite em OS PÁSSAROS VOAM À NOITE. Descobrem outro tempo e espaço, onde os pássaros (reais ou imaginados?) vão ecoando no seu caminho. MARIA – A HISTORICAL ANALYSIS OF SAMBIZANGA, 1972 faz uma comparação entre o papel da mulher na guerra de independência em Angola e o papel da mulher na Segunda Guerra Mundial através de um filme da recentemente falecida Sarah Maldoror. A sinopse de CASSOULET indica “Três dias num hotel à beira mar. Um aglomerado de sacos de plástico, algumas ideias, sentimentos e convicções. Mercadoria.” Em DEPTH WISH, na tentativa de tentar escapar a todo o fluxo a que é exposta, M vai em busca de um lugar – o mar – que a deixe libertar de um tempo e se possa dar ao prazer, mas é constantemente contagiada por fenómenos que a atingem e alteram a sua perceção. A fechar a sessão, ANNA BÊ é uma imersão no universo particular de Babi, uma jovem imigrante brasileira, “que resolveu, apesar de todos os percalços de sua vida, trilhar seu próprio caminho. Alçando voo de sua terra natal, para pousar no desconhecido território lusitano. Disposta a abrir mão de sua rede de relações, a fim de criar novas outras.”


Sala M. Félix Ribeiro | Qui. [17] 20:00 [atenção ao horário]

COM A LINHA DE SOMBRA
SAMMA NO AJI

O Gosto do Saké
de Yasujiro Ozu
com Shima Iwashita, Shinichiro Mikami, Keiji Sada, Chishu Ryu
Japão, 1962 – 112 min / legendado em português | M/12

sessão com apresentação

Foi o último filme de Yasujiro Ozu e é uma nova variação sobre uma história de separação familiar em reflexão nostálgica sobre o começo do “inverno da vida”. É também a sua celebração e a despedida ao “gosto do saké”, onde cabe toda a memória do passado e dos “bons tempos”. Profundamente comovente, SAMMA NO AJI é um dos mais perfeitos filmes de Ozu, aquele onde a depuração do seu estilo atinge níveis supremos. A exibir em versão digital.


Sala M. Félix Ribeiro | Sex. [18] 15:00 [atenção ao horário]

O QUE QUERO VER

SHOW BOAT

Magnólia
de James Whale
com Irene Dunne, Allan Jones, Charles Winninger, Helen Morgan, Paul Robeson
Estados Unidos, 1936 – 83 min / legendado em português | M/12

Um musical delicioso baseado na versão teatral da Broadway de Jerome Kern e Oscar Hammerstein II. Irene Dunne é fabulosa no papel de uma cantora que cresceu no barco comandado pelo seu pai, até que um dia a oportunidade do estrelato lhe bate à porta. Recuperada do nitrato de origem, a cópia de SHOW BOAT que exibimos resulta de uma preservação a partir de uma cópia da distribuição da época. O facto de se tratar dum testemunho coevo (uma das raras cópias “originais” que subsistem dos musicais americanos dos anos trinta) e a qualidade que se conserva na sua tonalida­de primitiva são valores que têm a sua contrapartida no estado das cópias e, neste caso, nos muitos “saltos” e “amputações” que a atravessam”. “Recupera-se em ‘restauro’ o que se perde em tempo, ou recupera-se na História o que se perde em história.” (João Bénard da Costa). Desde 2013 que este filme não é exibido na Cinemateca.


Sala M. Félix Ribeiro | Sáb. [19] 10:30 [atenção ao horário]

O QUE QUERO VER

CHICAGO DEADLINE

No Reino do Terror
de Lewis Allen
com Alan Ladd, Donna Reed, June Havoc, Irene Harvey, Arthur Kennedy
Estados Unidos, 1949 – 86 min / legendado eletronicamente em português | M/12

Um jornalista deixa-se enredar numa perigosa teia por conta da sua obsessão com o caso de uma rapariga encontrada morta num quarto de hotel. O caderno com números de telefone, que encontra antes da polícia, propiciará uma série de encontros com conhecidos da vítima. À medida que a investigação avança, um rol de crimes vai emergindo tal como as razões que conduziram essa alegada call girl até à morte. Film noir vagamente reminiscente de LAURA, com Alan Ladd no principal papel e embalado pela ambiência atormentada e sórdida que celebrizou o nome de Lewis Allen na indústria, por força do seu filme de estreia, THE UNINVITED, e do subsequente “filme de fantasmas”, THE UNSEEN. Primeira apresentação na Cinemateca.